instagram satc twitter satc facebook satc linkedin da satc canal do youtube satc
Search
Generic filters
Exact matches only
Filter by Custom Post Type
Meio ambiente

Moradores se preocupam com preservação da Lagoa do Verdinho

Com 60% de vazão, a lagoa vai perdendo tamanho e nada está sendo feito

FacebookTwitterLinkedInWhatsAppCopy LinkFacebook MessengerEmail
29/11/2019 17:15 Maria Alice Cavaler
Jornalismo Satc, Notícias de Criciúma e Região

Água turva, muita vegetação, uma pequena ponte e barro se misturando à grama alta. Quem passa aos arredores da Lagoa do Verdinho até pode observar só isso. Mas quem mora por ali sabe da história e importância que o espaço já teve. Não é à toa que o morador, Ademar Silvestre, está engajado para cuidar desse patrimônio. “Temos que salvar o que ainda resta, antes que seja tarde”, enaltece.

Isso porque, a lagoa já perdeu 60% de seu tamanho original. O que assusta os moradores que estão tentando abrir os olhos de autoridades e da população. O tema já foi pauta na Câmara dos Vereadores e a Fundação do Meio Ambiente de Criciúma (Famcri) realizou um estudo para averiguar o que precisa ser feito.

“Nós sugerimos recuperar as nascentes próximas. Para não perder tanto volume a solução é fazer o barramento em um dos braços de curso, pois escoa muita água”, explica a presidente da Famcri, Anequésselen Fortunato.

Apesar do movimento de preservação nada está sendo feito. Mesmo com o vazamento, ainda teriam que fazer outros trâmites políticos até começar os trabalhos de restauração. Segundo o arquiteto diretor de planejamentos da Prefeitura de Criciúma, Giuliano Colossi, é uma Área de Preservação Ambiental (APA) e para ser mexida, deverá ser feito um plano de manejo desta APA.

“Para salvar a lagoa que é de Criciúma, com menos de um real por habitante nós conseguimos. Teria recurso para fazer a contensão da água e até uma nova ponte, estrada e um espaço turístico”, opina Ademar.

Potencial para abastecimento

Segundo o técnico da Famcri, Maurício de Menezes, atualmente a lagoa possui 5,6 hectares de área coberta de água. “É possível afirmar que tem grande potencial para abastecimento da localidade. E talvez esse seja o único manancial remanescente, mas para afirmar precisaríamos de mais dados”, explica.

Importância para a população

Muitas famílias se alojaram no Verdinho. A lagoa serviu de importância econômica para região. O sustento na alimentação vinha da pesca. Como é o caso de Dona Etalvina da Silva. Ela recorda com saudade dos sábados, quando a família ia para a beira da lagoa. “Enquanto as crianças tomavam banho e se divertiam, meu marido pegava os peixes que era o nosso alimento. Meu filho mais velho, o Beto, até hoje pesca peixe lá”, relembra.

A indústrias foram chegando, a lagoa era uma represa que alimentava hidricamente as máquinas. “A lagoa sobreviveu. Mesmo com a extração do carvão e expansão do parque industrial. Ela se manteve. Ela não está poluída, mas temos que cuidar do pouco que ainda resta”, destaca Ademar.

Moradores se preocupam com preservação da Lagoa do Verdinho

Rodovia João Cirimbelli sem asfalto e moradores enfrentam problemas respiratórios

[VÍDEO] Como funciona o trabalho de Coach?

Uma resposta para “[VÍDEO] Como funciona o trabalho de Coach?”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comente: