instagram satc twitter satc facebook satc linkedin da satc canal do youtube satc
Search
Generic filters
Exact matches only
Filter by Custom Post Type
Prevenção

Covid-19: Como tratar o assunto com as crianças

Clareza, respeito e paciência são as palavras-chave para o momento

FacebookTwitterLinkedInWhatsAppCopy LinkFacebook MessengerEmail
26/05/2020 14:44 Larissa Witt
Destaques Crici. Reg., Jornalismo Satc, Notícias de Criciúma e Região

Enfrentar a pandemia do coronavírus (Covid-19) é difícil para todos, mas quando se trata de crianças a situação é ainda mais delicada. Entretanto, para Pedro que tem apenas dois anos, parece que a tarefa foi fácil. De acordo com a mãe, comunicadora da TV Sul Catarinense Sofia Dessuy Messer, nos primeiros dias de quarentena o filho perguntava à ela por que não podia ir para a escola.

“Comecei a explicar que tinha um bichinho na rua que fazia dodói, que tinha que esperar ele ir embora para tudo voltar ao normal. Fui explicando com calma, com paciência e ele foi entendendo”, conta.

Para Pedro foi fácil compreender sobre o perigo do vírus, mas não é assim com todas as crianças. Pais relatam que os questionamentos “por que todo mundo está usando máscara?”, “o que é coronavírus?” e “por que não podemos sair de casa?” são as perguntas mais frequentes ditas pelos pequenos.

Para os responsáveis que têm dificuldade em abordar o assunto, a psicóloga e terapeuta integrativa Cristine Ferreira recomenda o uso de materiais da internet. “Tem muitas coisas legais, inclusive musiquinhas e vídeos que explicam de forma bem lúdica sobre o coronavírus. Quanto mais clareza e leveza na informação, menos medo a criança vai sentir”, explica.

O apresentador da TV Globo, Luciano Huck, postou um vídeo que viralizou em seu Instagram explicando para a filha por meio de uma experiência com água, pimenta e detergente sobre a importância da higienização para se proteger do vírus. “Tem que lavar as mãos”, constata a filha no fim do vídeo.

Sofia também contou para Pedro a importância de lavar as mãos. “Mostrei vídeos de testes que apontam que quando não lavamos direito o vírus fica ali. Expliquei que o bichinho não gosta de criança limpa, então ele tinha que ficar bem limpinho para mandar o bichinho embora”, afirma.

As dificuldades de mantê-los em casa

Após a flexibilização da quarentena em Santa Catarina, que permitiu o retorno de algumas atividades, Sofia afirma que manter o filho no apartamento se tornou uma tarefa complicada. “Eu e minha mãe precisamos trabalhar e ele vê todo mundo na sua rotina e ele não. Pergunta por que a mamãe pode sair e o Pedro não”.

Neste caso, Cristine recomenda que uma nova rotina seja organizada junto com os pequenos. “O mais importante é manter as atividades diárias nos horários de sempre, para que a criança entenda que não é um período de férias. O sono, a alimentação e o banho não devem mudar. O que muda agora é que terão mais horas de brincadeiras com os pais e sozinhos”, esclarece.

É necessário que os pais incluam na nova rotina atividades de concentração e de movimento. “A criança precisa gastar energia e é necessário saber diversificar as brincadeiras. Atividades de construir, desenhar e fazer cartinhas são algumas que ocupam o tempo com coisas diferentes”, diz.

Dicas que podem melhorar a convivência entre os pais e os filhos durante a pandemia:

  • Uma conversa com criança tem que ser muito cuidadosa e respeitosa. Comece convidando-a para falar sobre o assunto e pergunte o que ela já sabe e entende sobre isso. A partir daí é que você vai seguir

  • Se a criança for muito pequena, fale apenas da importância da higiene para não transmitir doenças

  • Você pode utilizar desenhos e histórias. Todas essas atividades e formas de comunicação ajudam a entrar na conversa infantil

  • Nunca minimize as preocupações da criança. Sempre mostre à ela que você reconhece os sentimentos e diga que é natural sentir medo. Isso dá à ela uma sensação de segurança e de conforto

  • Elas precisam entender a importância que têm no processo de não transmitir o vírus. Precisam saber que não estão sendo deixadas de lado porque os pais precisam trabalhar, mas que elas fazem parte desse movimento

  • É necessário fazê-las entenderem que terão um tempo com os pais, mas que eles também precisam trabalhar. Nesse momento é importante ocupá-las com outras atividades e deixar claro em que horário ficarão juntos novamente.

Print Friendly, PDF & Email

Um Dia da Pizza movido a solidariedade

Vida de parteira: todos os dias uma hora não marcada com a alegria

Como identificar um relacionamento abusivo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comente: