instagram satc twitter satc facebook satc linkedin da satc canal do youtube satc
Search
Generic filters
Exact matches only
Filter by Custom Post Type
Nova realidade

Educação especial em tempos de Covid-19: Instituto Diomício Freitas ensina de maneira remota

FacebookTwitterLinkedInWhatsAppCopy LinkFacebook MessengerEmail
25/05/2020 15:09 Richard Vieira
Destaques Crici. Reg., Jornalismo Satc, Notícias de Criciúma e Região

Acostumada a ir todos os dias ao Instituto de Educação Especial Diomício Freitas, onde estuda, e a trabalhar em uma farmácia de Criciúma, a jovem Francine Patrício Marcos, de 20 anos, precisou se adaptar a uma nova realidade, provocada pelo novo coronavírus (Covid-19). Em casa, afastada do emprego em razão da pandemia e distante fisicamente do dia a dia da instituição por conta da suspensão das aulas, a estudante, agora, se dedica às atividades enviadas on-line pelos professores e equipe pedagógica da instituição.

“Eu estou conseguindo acompanhar e fazer tudo, só é um pouco mais complicado, porque ficamos longe dos professores e dos colegas. Mas não vejo a hora de voltar para o Diomício e para o meu emprego”, ressaltou.

Assim como a estudante Francine precisou se acostumar a um novo modelo de estudo, a professa Simone Cristina Bernardo de Souza, envolvida com a educação especial há 17 anos, sendo dez anos desta experiência no Instituto, também teve que se adaptar a uma nova forma de ensinar, mais aliada às tecnologias. “É novidade para todos, não somente pelo ensino a distância, mas pela questão emocional causada pelo vírus e o impacto na vida das famílias. Entrar nos lares neste momento é bem desafiador, pois não olhamos os estudantes como um número, e sim como um sujeito de direitos. Nós também temos um público de atendidos bem variado em condições financeiras, alguns não têm nem acesso à internet”, relatou.

Por isso, além das atividades já propostas por meio de grupos no WhatsApp, a entidade se prepara para atender os jovens e adultos sem internet. “Nós vamos imprimir atividades e levá-las até os nossos alunos nessa situação”, comenta Simone.

Trabalho em conjunto

 Desde a suspensão das aulas em virtude da epidemia, a equipe pedagógica buscou soluções para seguir cumprindo a missão da instituição: atender jovens e adultos com deficiência intelectual, qualificá-los e encaminhá-los ao mercado de trabalho. “Criamos dois grupos de WhatsApp: um para os professores e outro para os pais e responsáveis. Todo dia, no período da manhã, o professor responsável pela atividade nesse dia envia uma sugestão no grupo dos professores. Então, ali discutimos, sugerimos e fazemos alterações em conjunto, e só depois aprovamos. Às 13h, eu posto no grupo das famílias. Os estudantes fazem essas atividades e depois nos encaminham por meio de vídeos ou fotos”, explica a coordenadora pedagógica do Diomício, Juliana Bialeski.

Com apoio da família, eles realizam as atividades. “Os pais e responsáveis estão ajudando bastante os nossos estudantes. Mas também estamos nos preocupando em disponibilizar atividades simples, de vida diária, com assuntos que eles estão acostumados a trabalhar – referentes ao mercado de trabalho”, diz Juliana.

Instituto Diomício Freitas

A instituição, com 35 anos de história, completados em abril, atende 74 jovens e adultos, de 14 a 35 anos, com deficiência intelectual e, por meio de atividades pedagógicas, busca qualificá-los e encaminhá-los ao mercado de trabalho.

Print Friendly, PDF & Email

Um Dia da Pizza movido a solidariedade

Vida de parteira: todos os dias uma hora não marcada com a alegria

Como identificar um relacionamento abusivo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comente: