instagram satc twitter satc facebook satc linkedin da satc canal do youtube satc
Search
Generic filters
Exact matches only
Filter by Custom Post Type
SAÚDE

Tratamento e fé: a experiência de quem já contraiu o coronavírus

Pacientes relatam sobre tratamento, sintomas e cuidados com a higiene

FacebookTwitterLinkedInWhatsAppCopy LinkFacebook MessengerEmail
15/10/2020 13:55 Sandy Brasil*
Destaques Crici. Reg., Jornalismo Satc, Notícias de Criciúma e Região

Respeitando o isolamento domiciliar e recebendo tratamento adequado, pessoas se curaram do novo coronavírus. No mundo são quase 27 milhões de recuperados e no Brasil mais de 4 milhões.

Pacientes que uniram o tratamento com a fé também se curaram. “Eu fiz todo o tratamento com os remédios e minha fé me manteve de pé diante de um vírus tão terrível”, declarou o professor de literatura, que contraiu o vírus, Lucas Luciano, de 30 anos.

O aposentado, de 54 anos, Sulivan Aparecido Brasil, também pegou o vírus. “Meu tratamento foi feito com xarope devido aos meus problemas no coração, quando falei sobre meus problemas fui logo fazer o teste”, pontuou.

Sintomas

Os sintomas da Covid-19 são variados e reagem de diferentes maneiras no corpo de cada paciente. “Eu senti todos os sintomas, febre, fadiga, náuseas, perca total do paladar e olfato, falta de ar”, sublinhou o professor.

O aposentado também sentiu os sintomas do vírus. “Quando estava em meio ao tratamento me recuperando em casa, a tosse e a falta de ar permaneceram e ao fazer a tomografia deu 40% do meu pulmão tomado pelo vírus. Todos os anos tive tosse, mas dessa vez foi diferente, meu corpo todo doía e perdi totalmente o paladar”, lembrou.

O tratamento feito pelo hospital é por meio de antibióticos e soro. “Tomei em casa tormicina, prednisona, tamiflu, xarope e nimesulida. No hospital usei cateter com oxigênio e soro com antibióticos”, contou o professor.

Para aqueles que já lidaram com o vírus a preocupação é apenas uma. “Eu fico triste por muitos não acreditarem no vírus, por ter virado uma questão política e graças aos meus pensamentos positivos e fé eu sai dessa bem”, expressou o professor.

O aposentado também pede para que as pessoas respeitem as normas de higiene e se cuidem ao máximo. “Vejo muitas pessoas por aí sem máscara e penso: Elas estão brincando e não sabe como é horrível estar com o vírus”, concluiu.

Print Friendly, PDF & Email

Calor, chuva e manhãs amenas na última semana de outubro

Brasileira conta como está a pandemia na Irlanda após retorno do lockdown

Equipe Multi-institucional entrega doações para entidades assistenciais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comente: