instagram satc twitter satc facebook satc linkedin da satc canal do youtube satc
Search
Generic filters
Exact matches only
Filter by Custom Post Type

Engenharia de Minas

10 semestres




Sobre o Curso

Profissional

Mercado

O mundo moderno depende da disponibilidade de matérias primas para a fabricação de materiais e equipamentos cada vez mais sofisticados. O curso de Engenharia de Minas da Faculdade SATC, além de estudar a viabilidade técnica de exploração, é o único existente entre as regiões de São Paulo e Porto Alegre.

Na região sul do estado de Santa Catarina, onde Criciúma é o maior centro econômico, concentra-se um grande número de empresas de mineração, destacando-se o carvão mineral, agregados para a construção civil, matérias-primas para a indústria de cerâmica vermelha e industrial, rochas ornamentais, turfa, fluorita, entre outros.

Neste contexto pensando em alternativas para melhorar a oferta de profissionais com perfil empreendedor, construída principalmente a partir da força local, já inserida nas demandas regionais, o curso de Engenharia de Minas foi criado dentro da SATC.

A experiência mineira do sul de Santa Catarina, em particular o caso do carvão, associada a nova ordem mundial da mineração, impôs ao novo curso um perfil alinhado às demandas sociais e ambientais. Nossos egressos são profissionais cientes dos impactos inerentes à atividade de mineração, seja em superfície ou em subsolo, moldados para exercer a profissão de forma que atendam apenas ao provimento das necessidades de matérias-primas para o desenvolvimento da sociedade, sem geração de passivos sociais e ambientais de qualquer espécie.
O Curso de Engenharia de Minas deverá formar profissionais que reúnam entre outras competências, conhecimento universal, técnico, científico e polivalente, associado a capacidade crítica e a uma visão holística e humanista.

O engenheiro deverá apresentar a capacidade de reconhecer problemas e solucioná-los, capacidade de comunicar suas ideias e seus projetos e também apresentar conhecimentos de gerência e de relações humanas, agindo dentro de padrões éticos e em consonância com o meio ambiente, pesquisando, desenvolvendo, adaptando e utilizando novas tecnologias, com atuação inovadora e empreendedora.

O egresso da Engenharia de Minas da SATC é instruído a adotar perspectivas multidisciplinares e transdisciplinares na sua vida prática, considerando os aspectos globais, políticos, econômicos, sociais, culturais e de segurança e saúde no trabalho.

Portador de isenção e comprometimento com a responsabilidade social, cultural e o desenvolvimento sustentável, nossos novos Engenheiros de Minas tem absoluta noção das características impactantes da atividade mineira, garantindo através da sua atuação, a perfeita convivência com as questões ligadas ao meio-ambiente e as comunidades atingidas pela atividade.

Deste modo, o egresso da Engenheira de Minas da Faculdade SATC recebe uma formação que propicia e estimula a contínua ampliação dessas habilidades, não só durante a vida acadêmica, mas também durante o decurso de toda a sua vida profissional.
O mercado de trabalho do Engenheiro de Minas é extenso e único. Vai desde a etapa de pesquisa e determinação da viabilidade econômica de depósitos minerais, passando pela etapa de lavra ou extração desses bens minerais através das minas, até as etapas de beneficiamento, tratamento e concentração dos minérios e minerais, necessárias para o ajuste dos seus produtos às exigências do mercado. O profissional graduado em Engenharia de Minas pode atuar não apenas diretamente na área da pesquisa, extração e beneficiamento, mas também em abertura de túneis rodoviários e ferroviários, devido a sua atribuição em uso e manuseio de explosivos, na extração de petróleo e água mineral, entre outros. Como parte das possibilidades profissionais ofertadas pelo curso, o egresso é preparado para desenvolver seu espírito empreendedor, incentivando iniciativas nas áreas de consultoria e prestação de serviços, desenvolvimento de novas técnicas e soluções, permitindo que suas habilidades possam despertar o interesse na área acadêmica e de pesquisa.
  • Receba mais informações

1ª fase

Código
Componente Curricular
CH
Créditos
Característica
Pré-requisito
170105
álgebra linear e geometria analítica
60.00
4.00
ob
170104
cálculo i
90.00
6.00
ob
170106
comunicação e expressão
30.00
2.00
ob
170103
fundamentos de química geral
60.00
4.00
ob
170102
introdução a engenharia de minas
30.00
2.00
ob
170101
metodologia científica
30.00
2.00
ob

2ª fase

Código
Componente Curricular
CH
Créditos
Característica
Pré-requisito
170202
cálculo ii
60.00
4.00
ob
170104 170105
170201
desenho técnico
60.00
4.00
ob
170203
física geral i
90.00
6.00
ob
170205
geologia geral
60.00
4.00
ob
170204
química inorgânica
30.00
2.00
ob

3ª fase

Código
Componente Curricular
CH
Créditos
Característica
Pré-requisito
170301
cálculo iii
60.00
4.00
ob
170202
170302
física geral ii
60.00
4.00
ob
170203
170303
fundamentos da cinética química
60.00
4.00
ob
170103 170104
170305
mineralogia
60.00
4.00
ob
170205
170304
técnicas de programação
60.00
4.00
ob
170105 170202

4ª fase

Código
Componente Curricular
CH
Créditos
Característica
Pré-requisito
170406
atividades complementares i
105.00
0.00
cp
170404
cálculo numérico
60.00
4.00
ob
170301 170304
170402
física geral iii
60.00
4.00
ob
170302
170405
fundamentos de química analítica
60.00
4.00
ob
170103 170204
170403
mineralogia de minérios
60.00
4.00
ob
170305
170401
topografia
60.00
4.00
ob
170205

5ª fase

Código
Componente Curricular
CH
Créditos
Característica
Pré-requisito
170502
estática
60.00
4.00
ob
170105
170504
estatística
60.00
4.00
ob
170202
170505
hidrogeologia
60.00
4.00
ob
170403
170506
libras - linguagem brasileira de sinais
30.00
2.00
op
170503
petrologia ígnea, sedimentar e metamórfica
60.00
4.00
ob
170403
170501
prospecção
60.00
4.00
ob
170401 170403

6ª fase

Código
Componente Curricular
CH
Créditos
Característica
Pré-requisito
170605
eletrotécnica geral
60.00
4.00
ob
170402
170601
mecânica de rochas
60.00
4.00
ob
170503
170604
perfuração e desmonte de rochas
60.00
4.00
ob
170503
170602
resistência dos materiais
60.00
4.00
ob
170502
170603
tratamento de minérios i
60.00
4.00
ob
170405 170503

7ª fase

Código
Componente Curricular
CH
Créditos
Característica
Pré-requisito
170705
avaliação e análise econômica de depósitos
60.00
4.00
ob
170501
170704
geologia estrutural
60.00
4.00
ob
170601
170701
lavra de minas à céu aberto
60.00
4.00
ob
170601 170604
170703
mecânica dos solos
30.00
2.00
ob
170601
170706
segurança do trabalho para engenharia de minas
30.00
2.00
ob
170702
tratamento de minérios ii
60.00
4.00
ob
170603

8ª fase

Código
Componente Curricular
CH
Créditos
Característica
Pré-requisito
170807
atividades complementares ii
105.00
0.00
cp
170801
cartografia e fotointerpretação
60.00
4.00
ob
170501 170401
170802
conservação de recursos naturais
30.00
2.00
ob
170803
gestão de pessoas
30.00
2.00
ob
170804
lavra de minas subterrâneas
60.00
4.00
ob
170704 170604
170805
minerais e rochas industriais
60.00
4.00
ob
170705
170806
tratamento de minérios iii
60.00
4.00
ob
170702

9ª fase

Código
Componente Curricular
CH
Créditos
Característica
Pré-requisito
170904
empreendedorismo
30.00
2.00
ob
170905
mineralogia e tecnologia do carvão
60.00
4.00
ob
170901
separação sólidos líquidos
60.00
4.00
ob
170806
170906
tcc i
30.00
2.00
ob
170902
topografia de minas
60.00
4.00
ob
170401 170804
170903
ventilação de minas
60.00
4.00
ob
170804

10ª fase

Código
Componente Curricular
CH
Créditos
Característica
Pré-requisito
171005
depósitos de óleo, gás e carvão
30.00
2.00
ob
170705
171009
estágio
405.00
2.00
ob
171004
noções gerais de direito
30.00
2.00
ob
171003
planejamento de lavra
60.00
4.00
ob
170903
171008
tcc ii
30.00
2.00
ob
170906
171006
te - equipamentos auxiliares na mineração
30.00
2.00
ob
170903
171002
te - informática aplicada à mineração
60.00
4.00
ob
170801
171007
tópicos especiais
30.00
2.00
ob
171001
tratamento de efluentes na mineração
30.00
2.00
ob
170901

Carga Horária

Carga Curricular
Carga complementar
Carga Total
3405
195
3600

Labs

Parcerias

+ informações

DA AVALIAÇÃO E DO RENDIMENTO ACADÊMICO, conforme o Capítulo IV do Regimento da Faculdade SATC

 

Art. 62º. A avaliação do rendimento acadêmico é realizada por componente curricular, incidindo sobre a frequência e o aproveitamento.

 

Art. 63º. A frequência às aulas e demais atividades acadêmicas, é obrigatória para acadêmicos e docentes, vetado o abono de faltas.

 

  1º. Independentemente dos demais resultados obtidos, é considerado reprovado na disciplina o acadêmico que não obtenha, no mínimo, 75% (setenta e cinco por cento) de frequência nas aulas e demais atividades programadas.

 

  2º. A verificação e registro de frequência são da responsabilidade do docente, e seu controle, para efeito do parágrafo anterior, da Secretaria Acadêmica.

 

  3º O registro de frequência deve ser feito pelo docente no diário on-line em até 1 dia (24 horas) após a data da aula.

 

Art. 64º. O aproveitamento acadêmico é avaliado por meio de acompanhamento contínuo e processual do acadêmico e dos resultados por ele obtidos nas atividades acadêmicas, como provas, trabalhos e pesquisas.

 

  1º. Compete ao docente da disciplina elaborar avaliações, bem como julgar-lhes os resultados.

 

  2º. As avaliações semestrais devem ser em número de no mínimo três por período letivo, sendo no mínimo, uma individual. Constam de trabalhos de avaliação, trabalho de pesquisa, provas e outras formas de verificação previstas no plano de ensino da disciplina.

 

  3º. Na realização das avaliações, os três últimos acadêmicos deverão sair juntos da sala de prova.

 

  4º. Os horários de início e final de avaliação deverão constar no cabeçalho da mesma.

 

  5º. O acadêmico que por qualquer motivo deixar de realizar uma das avaliações semestrais poderá realizar a N-1 para recuperar sua nota. A N-1 deve ser realizada, obrigatoriamente, na 20ª semana de aula, sendo este considerado um dia letivo normal.

 

  1. N-1 deverá contemplar todo o conteúdo do semestre letivo, ou seja, independentemente da avaliação que deixou de ser feita pelo aluno (1ª, 2ª, ou 3ª), a avaliação N-1 será a mesma.
  2. O resultado desta substituirá automaticamente a nota mais baixa dentre as avaliações semestrais, do mesmo componente curricular, realizadas no período letivo corrente.
  3. No caso de componentes curriculares com aulas práticas, de projetos, de trabalhos de estágio supervisionado, de monografias ou de caráter experimental, em função da não aplicabilidade de provas escritas, terão a recuperação de nota a critério do professor, devendo estar estabelecida no plano de ensino da disciplina.
  4.  Caso o acadêmico não compareça a duas avaliações, o mesmo terá direito a realizar duas provas para recuperar as avaliações não realizadas, denominadas N-1 e N-2. Essas provas serão realizadas na mesma data e período da aula referente à disciplina. Cada uma delas deverá contemplar o conteúdo de todo semestre.
  5. A realização da N-2 está condicionada a problemas de saúde, óbito de parentes diretos e compromissos profissionais extraordinários. Nas duas primeiras situações – saúde e óbito – o aluno está dispensado do pagamento de taxa. Porém, deverá procurar a secretaria do curso, munido do respectivo atestado, para obter uma carta, assinada pelo coordenador, que defere (ou não) seu pedido de realização de N-2. No caso de realização da N-2 devido a compromissos profissionais, o aluno deve, além de obter o deferimento junto à secretaria do curso, se dirigir à secretaria acadêmica para retirar a guia de recolhimento, no valor de R$ 50,00, devendo ser paga na tesouraria da instituição.
  6. Para os casos em que o aluno apresentar atestados fraudulentos ou mesmo não justificar sua ausência na 2ª prova, não será permitida a realização da N-2.
  7. O acompanhamento das situações descritas nos itens ‘e’ e ‘f’ deve ser feito pelo professor, no dia da aplicação das provas N-1 e N-2, onde o aluno deve apresentar, obrigatoriamente, a carta de deferimento.
  8. Casos omissos referentes à recuperação de nota deverão ser tratados diretamente com a coordenação do curso e professor da disciplina.

 

Art. 65º. A cada avaliação deverá ser atribuída uma nota, expressa em grau numérico de zero a dez.

 

  1º. Atribui-se nota 0 (zero) ao acadêmico que deixar de se submeter à verificação prevista na data fixada, bem como ao que nela se utilizar de meio fraudulento: cola e plágio.

 

  2º. Ao acadêmico que usar de meio fraudulento é vetado a utilização da N-1 para a recuperação da nota da referida avaliação.

 

  3º. Ao acadêmico que, na oportunidade de elaboração de trabalhos de conclusão de curso (TCC), utilizar, no todo ou em parte, de transcrições, imagens, gráficos, vídeos, animações ou figuras de outros autores sem citar sua origem, configura a prática de plágio. A constatação de plágio no TCC acarreta a reprovação automática, desconsiderando os demais conteúdos desenvolvidos de forma autoral.

 

Art. 66º. No prazo de 15 (quinze) dias a contar da sua aplicação, a correção das provas e trabalhos deverá ser objeto de comentário em sala de aula, no qual se esclareçam a solução das questões e os critérios de avaliação, oportunizando assim a recuperação paralela de conteúdos.

 

Art. 67º. O docente deverá, no prazo do artigo anterior, publicar no diário on-line o resultado da correção das provas e trabalhos.

 

Art. 68º. O docente deverá devolver aos acadêmicos todas as provas e trabalhos semestrais realizados no semestre letivo.

 

 1º. A devolução das provas semestrais ou trabalhos acadêmicos deverá ser feita pelo docente, no prazo máximo de 48 horas antes da realização da N-1.

 

 2º. Impossibilitada a devolução das avaliações aos acadêmicos, no prazo estabelecido no § 1º, o docente deverá entregá-las aos respectivos Departamentos de Cursos onde ficarão à disposição dos acadêmicos até o 30º (trigésimo) dia do semestre letivo subsequente, quando serão destruídas.

 

Art. 69º. As notas das provas e trabalhos semestrais deverão ser publicadas no diário on-line no prazo máximo no prazo máximo de 48 horas antes da realização da N-1.

 

Art. 70°. A média final do acadêmico em cada disciplina, verificada ao término do período letivo, será a média aritmética simples entre as notas das avaliações semestrais.

 

Art. 71º. Atendida em qualquer caso a frequência mínima de 75% (setenta e cinco por cento) às aulas e demais atividades acadêmicas:

I.       é aprovado o acadêmico que obtiver média semestral maior ou igual à média aritmética 6,0 (seis) das notas das atividades acadêmicas semestrais;

II.      caso o acadêmico tenha obtido média semestral inferior à média aritmética 6,0 (seis) o mesmo será considerado reprovado na disciplina.

 

Art. 72º. O Acadêmico reprovado por não ter alcançado, seja a frequência, sejam as notas mínimas exigidas, repetirá a disciplina, sujeitando-se na repetência às mesmas exigências de frequência e de aproveitamento estabelecidas neste Regimento.

Art. 73º. A revisão da N-1 pode ser solicitada no departamento do curso, dentro do prazo de 48 horas após a publicação das notas no site da Faculdade, não sendo aceitos pedidos posteriores à data-limite.

  1º. A mesma será feita por banca constituída por 2 (dois) professores, além do Coordenador do Curso, sendo vetada a participação de acadêmicos durante a revisão .

  2º. A resposta aos pedidos de revisão deve ser retirada na secretaria.

  3º. Ao efetuar o pedido de revisão da N-1 o acadêmico deverá efetuar o pagamento da taxa de revisão.

  4º. Não serão fornecidos originais ou cópias das provas N-1.

 

Art. 74º. Os casos omissos a esse Capítulo serão tratados por resoluções específicas de cada curso, obedecendo à legislação vigente.

Contato Coordenação

Recepção Geral

(48) 3431-7500

Atendimento:

De 2ª a 6ª, das 7h às 22h

Sábado, das 7h30 às 11h30

Secretaria Geral

(48) 3431-7502 | 3431-7503

secretaria@satc.edu.br

Atendimento:

De 2ª a 6ª, das 7h30 às 21h45

Sábado, das 8h às 11h30

Coordenação

André Luiz Amorim Smaniotto

(48) 3431.7603

FacebookTwitterLinkedInWhatsAppCopy LinkFacebook MessengerEmail