A inovação e a ação social fazem parte do DNA da Satc desde a sua fundação, em 1959. Criada para ser o braço assistencial da Indústria Carbonífera do sul de Santa Catarina, a instituição se tornou referência na formação técnica de profissionais, e também na formação de cidadãos comprometidos com a sociedade.A Satc atua na formação 360°, preparando seus alunos para se tornarem cidadãos com conhecimento científico, tecnológico e cultural.
A instituição atua da Educação Infantil até a Pós-graduação, sempre inovando em suas metodologias de ensino. Para isso, dispõe de uma infraestrutura focada na aprendizagem completa de seus alunos e colaboradores: 60 laboratórios, 85 salas de aulas, complexo esportivo, áreas verdes, além de profissionais alinhados com o mercado.
Desde 2008, a Satc é certificada com a ISO 14001, que determina seu comprometimento com a redução de impactos ambientais no processo interno. Também atua na área da pesquisa científica e serviços laboratoriais, trazendo novas perspectivas de desenvolvimento sustentável com o Centro Tecnológico Satc.

550 mil m²

Área total

36 mil m²

Área construída

60 laboratórios

de nível tecnológico avançado

85

Salas de aula

5 mil

alunos

588

colaboradores

Corpo dirigente

Fernando Luiz Zancan

Fernando Luiz Zancan

Diretor Executivo

Márcio Zanuz

Diretor Financeiro

Carlos Antônio Ferreira

Diretor Geral

Negócio

Promover o Crescimento Sustentável via transformação de pessoas e organizações.

Missão

Transformar pessoas e organizações, por meio de educação e tecnologias inovadoras, desenvolvendo competências e contribuindo para o crescimento sustentável.

Visão

Ser referência, no estado de Santa Catarina, em educação e tecnologia, promovendo soluções inovadoras e contribuindo com os objetivos do desenvolvimento sustentável.

Propósito

Realizar pessoas pela transformação técnica-profissional e sócio-emocional.

Valores

Educação: Oportunizar o crescimento contínuo das pessoas; Inovação: busca constante da inovação por meio de novas tecnologias;

Gestão: Inovadora, participativa e comprometida com as partes interessadas com foco na sustentabilidade econômica, com princípios filantrópicos, buscando a qualidade e o aprimoramento contínuo;

Responsabilidade Social e Ambiental: Compromisso de agregar valor para as partes interessadas, visando o desenvolvimento sustentável;

Transparência e postura: Agir de forma ética em todas as relações com as partes interessadas, com informação ampla, acessível e exata.

Confira o calendário corporativo da Satc e fique por dentro dos eventos e datas importantes para a instituição.

Em 2019, a Satc completa seus 60 anos, é um ano a se comemorar e relembrar fatos que nos trouxeram até aqui, e que nos faz observar para realizar um futuro promissor, cheio de inovação e tecnologia. Abaixo, temos um pouco da trajetória vivida por uma instituição engajada com o desenvolvimento da comunidade local e de toda a região carbonífera.

imagem da Satc 1960

1960

A Sociedade de Assistência aos Trabalhadores do Carvão (SATC) foi criada em 1959, com o objetivo de assistir aos operários do setor carbonífero. Na década de 60 foi criada a Escola Industrial, masculina e voltada exclusivamente para o ensino profissionalizante, com um internato para facilitar a inclusão de alunos de outras cidades. Nos anos finais do Ginásio (como era chamado o Ensino Médio), o ensino regular era concomitante ao curso de Aprendizagem Industrial, possibilitando aos alunos ingressarem no mercado de trabalho com uma certificação profissional. Neste período, foi criado o primeiro logotipo da escola, a Fanfarra (atual Banda Marcial) e um conjunto musical. No final da década de 60, foi implantado o primeiro Curso Técnico: Eletromecânica. Com ele, a instituição passou a se chamar Escola Técnica Industrial “General Oswaldo Pinto da Veiga” (homenageando o maior defensor da implantação da SATC).

imagem da Satc 1970

1970

A década de 70 foi marcada por mudanças, como a abertura da escola para o ingresso de moças. Aconteceram as formaturas das primeiras turmas de cursos técnicos, como Eletromecânica e Mineração, além da implantação de novos cursos técnicos. Com o passar do tempo, houve a necessidade de especialização do técnico, decidindo-se pelo desdobramento do curso técnico de Eletromecânica em Eletrotécnica e Mecânica. Deste modo, foi necessário reorganizar a direção da escola, criando a coordenadoria dos cursos e um setor específico de apoio pedagógico, para auxiliar o professor.  Nesta década houve ainda: a inauguração da capela, de uma quadra esportiva, um laboratório de Eletrotécnica e o desenvolvimento de um novo logotipo. A Biblioteca passou a ocupar um espaço maior e o diretor geral institui o Dia Olímpico (atual JOS - Jogos Olímpicos Satc), onde o Grêmio Estudantil programava jogos e brincadeiras.

imagem da Satc 1980

1980

A década de 80 foi motivada pelo cenário político e de desenvolvimento da região, além de ter trazido muitas transformações para a Satc. Iniciando pelo fechamento do Internato, o qual aconteceu em virtude da abertura de estradas que ligavam as cidades. Nesta década, foi construído um novo pavilhão para os cursos de Eletrotécnica e Eletrônica. Também foi criada a Associação de Pais e Professores (APP) e teve início a construção do complexo esportivo. Em 1982, o prédio do SIECESC começou a ser construído, com o objetivo de abrigar a direção executiva da SATC. O final da década de 80 foi marcado pela crise do Carvão que refletiu no início da década de 90.

imagem da Satc 1990

1990

A década de 90 foi um período de reestruturação e resgate da credibilidade da SATC. Em virtude da crise do carvão, iniciada no final da década de 80, sem recursos financeiros oriundos da contribuição do setor carbonífero, foi necessário fechar o ensino de 5ª a 8ª série. Foi empossada uma nova diretoria com a missão de reerguer a SATC. No novo planejamento, a escola deixou de ser gratuita e passou a cobrar dos alunos de acordo com a realidade financeira, com exceção de alunos carentes. Dessa forma, o ensino fundamental foi reativado e ainda manteve-se quatro cursos técnicos.  Ao final da década de 90, foi necessário buscar parcerias para o crescimento da escola, os recursos foram investidos na modernização dos equipamentos e na implantação de novos laboratórios e, em parceria com o SENAI, passou-se a oferecer dois cursos superiores de tecnologia

imagem da Satc 2000

2000

Os anos 2000 foram marcados pelos 50 anos da SATC, pela conquista de muitos prêmios, por contínuas mudanças e pela expansão da marca. Como o início da realização de cursos técnicos fora da sede. Prêmios como o DNA - Desafio Nacional Acadêmico - e o World Silks. Já na expansão da marca, o projeto SATC para todos foi criado visando o desenvolvimento da educação profissional de nível básico gratuito com diversos cursos, conforme a realidade de cada cidade. A mudança do nome aconteceu devido ao Código Civil, para a instituição continuar com o titulo de filantropia, oficializando o nome que adota nos dias de hoje: Associação Beneficente da Indústria carbonífera de Santa Catarina. Ainda nos anos 2000, a SATC passa a oferecer o primeiro curso da Faculdade SATC: Engenharia Elétrica. O segundo curso aberto foi o de Engenharia Mecânica. Em 2007, a SATC abriu portas para uma nova área de atuação, Ciências Humanas, com o curso de Jornalismo.  Ainda nesta década, houve a criação do Centro SATC de Meio Ambiente, em consonância com a preparação para a ISO 14001, que foi obtida em 2008, sendo a primeira escola do estado e a quarta do país a obter a certificação na época. O primeiro curso técnico EAD,  o início da construção do CTCL (atual CT), e a inauguração do Centro de Convivência para beneficiar alunos e colaboradores também marcaram os anos 2000.

Contato

Unidade Criciúma

Recepção Corporativa

(48) 3431.7559

 

Secretaria da Direção

(48) 3431.7564

Unidade Turvo

Recepção e secretaria

secretaria.turvo@satc.edu.br
(48) 3525-0284

 

Orientação educacional

(48) 3525-0284

(48) 3431.7559

 

Orientação educacional

(48) 3525-0284